Sobre o fotógrafo

Muitas vezes a curiosidade nos leva a grandes conquistas e descobertas e, no meu caso, não foi diferente.

Quando ganhei a minha primeira câmera compacta, eu queria muito entender o que eram aqueles números que apareciam na tela. Aquele 1/500, aquele gráfico que mais parecia uma montanha, o “f/ sei-lá-o-que”, por que que de noite a foto sem flash saia tão tremida, por que às vezes o fundo saia focado e o primeiro plano não, e por aí vai…

Assim comecei a “descobrir” a fotografia. Sim, entre aspas porque eu realmente achei que tivesse inventado uma técnica. Uma vez percebi que deixando a câmera no modo noturno e fixada em algum lugar as fotos feitas de noite saiam ótimas, exceto quando havia algum objeto em movimento, e em especial os objetos luminosos, que deixavam um rastro de luz. Então, resolvi fazer um teste: fechei a porta e a cortina do meu quarto, acendi uma vela, programei o timer da câmera e quando ela disparasse e deixasse o obturador aberto captando a luz ambiente, eu “escreveria” na fotografia com a vela. Quando eu vi que podia “escrever com a luz”, fiquei extasiado por alguns minutos, achando que tinha revolucionado a fotografia. Pobre de mim! Essa técnica já existia há pelo menos 60 anos.

A luz é o que me guia, a cada dia eu estudo e descubro formas de emocionar, alegrar e eternizar os mais lindos momentos da vida. Obrigado por me deixar fazer parte deles!

Leandro França

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *